sábado, 30 de agosto de 2014

Análise de Palmeiras 0x1 Inter por @MasterColorado



Hoje não vou fazer análises profundas até porque o adversário era o Palmeiras. Já não bastava isso, eles inventaram de jogar de AZUL(contra o Inter, isso é sinônimo de DERROTA). Então se contentem com uma visão superficial das coisas. Brincadeira, ou não.

As nossas duas derrotas seguidas no Brasileirão, mesmo jogando bem nos deram um alerta, e aquele fiasco na Sul-Americana nos abriram os olhos para algo que não estava sendo bem feito.

Com a ausência de D’alessandro suspenso, Abel Braga SORTEOU o Inter com a seguinte escalação : Dida; Cláudio Winck, Paulão, Ernando e Fabrício; Willians, Wellington, Aránguiz, Jorge Henrique e Sasha; Rafael Moura.
O Palmeiras foi a campo com: NÃO IMPORTA.
Na escalação do Inter você não leu errado, eu escrevi sorteou mesmo, pois o Abelão tá mudando a equipe a cada jogo, não vejo ele confiando em um time titular absoluto do Inter.

Assim, analisando antes da partida, a volta do Willians é um fator positivo pois Ygor esteve jogando um futebol que nem o gremista mais secador imaginava que fosse possível. E o fator super negativo é Rafael Moura, que comprou muitos números no sorteio do professor Abel e conseguiu ser escalado para mais uma noite de aventuras.
Tem alguns outros pontos não tão menos importantes, como Jorge Henrique e Sasha que não quero comentar para que não me chamem de corneteiro, prefiro evitar a fadiga(risos).
Pois bem, começou o jogo e o Palmeiras empolgado por sua torcida que estava em bom número no Pacaembu, tentava pressionar mas não criou nada de perigoso. Inter fechadinho, como manda o Manual dos Jogos Como Visitante, só esperando por um lapso de desorganização do Palmeiras(o que é comum).

Cláudio Winck ABSORVIDO pela ATMOSFERA onde EL MAGO VALDÍVIA joga, não aguentou 15 minutos sem se lesionar e deu lugar a Gilberto na nossa lateral direita.
Em 20 minutos o impossível acontecia, DUAS ASSISTÊNCIAS de Rafael Moura para Jorge Henrique, que resultaram em UM GOL, pois uma das assistências foi com “la mano”. Na que valeu, a jogada ocorreu em apenas TRÊS TOQUES, Dida deu um balão, Moura escorou de cabeça e o Jorge Henrique como a FORMIGA ATÔMICA ganhou na velocidade e chegou antes do goleiro para abrir o placar. Colorado 1 a 0.

A partir daí o que era o Palmeiras tentando fazer algo, já não acontecia. O time alvi-verde TRAVESTIDO de azul não tinha chance para tentar pois era desarmado por nossos volantes.
Um festival de gols perdidos se proliferava a cada investida do Inter, Aránguiz conseguiu a proeza de errar um gol cara a cara com o arqueiro da esquadra verde. Jorge Henrique(ex Corinthians) pensou que estava com a camisa dos gambás em um clássico, e incorporou um personagem em que nunca vimos ele se transformar, e INFERNIZOU a defesa do Palmeiras e abria espaços para as investidas coloradas.

Muitas chances foram criadas até o fim da primeira etapa, não vou descrever todas, pois a paciência dos leitores desse espaço tem limite. Enquanto isso em Belo Horizonte o Cruzeiro estava perdendo para a Chapecoense por 1 a 0. Tudo o que os colorados queriam estava acontecendo. Seriam os novos tempos? Só o tempo dirá, já profetizava Wianey “Taison ou Messi” Carlet.

Mal começou o segundo tempo e o AVASSALADOR Cruzeiro já acabava com a vantagem do time de Chapecó, e conseguia manter a distância de 8 pontos para o Inter, que estava assumindo provisoriamente a segunda colocação.
No Pacaembu o filme do primeiro tempo se repetia, o Palmeiras tentava sem tentar nada e o Inter se aproveitava e pegava a defesa do porco “com as calças na mão”. Rafael Moura seguia em campo e continuava se portando como um REI MIDAS DO AVESSO, ao invés de tudo o que ele tocava se transformar em ouro, como na história desse personagem da mitologia grega, Moura matava as jogadas, ou perdia o tempo do lance e desperdiçando o que seria algo bom para o Inter.

Willians e Wellington não deixavam passar nada, nem o sonho de fugir da segundona os nossos desarmadores deixaram passar. Aránguiz conseguia se desprender e começar bons lances para a gente.
Na defesa Dida & CIA, não se esforçaram muito. Sasha que não fez muita coisa, deu lugar ao rápido Leandro que no pouco tempo que teve tentou fazer um carnaval na defesa do Palmeiras. E o melhor jogador colorado na partida Jorge Henrique deu lugar a Alan Patrick.
O jogo seguia naquele mesmo filme, cada chegada do Inter centenas de palmeirenses morriam de problemas no coração. E no final o Inter gastou um tempão em CATIMBA com o selo IARLEY de qualidade.

Fim de papo. Palmeiras 0x1 Internacional. +3 pontos na conta do maior do Rio Grande.
Como o Cruzeiro venceu a Chape por 4 a 2, o título é algo para os sonhadores, segundo lugar já é uma grande vitória com todas essas condições.
Mesmo com todos os problemas estamos muito bem na tabela, aos poucos chegando, brigando com os nossos reais rivais nesse momento Corinthians e São Paulo por vagas diretas para a Libertadores 2015, mas estamos vivos no sonho do Tetra.

VAMO INTER, e não se esqueçam DIGA NÃO AO RACISMO.

2 comentários:

  1. Muito boa atuação do time colorado simples e com vitória.

    ResponderExcluir