domingo, 26 de março de 2017

"D'Alessandro estraga o vestiário."



Texto: Rosita Buffi | Foto: Edição Blog

Não são poucos os jogadores das
categorias de base do Inter que veem em D’Alessandro um exemplo e um ídolo. Muito deles, inclusive, hoje estão jogando ao lado dele, casos de: Andrigo, Valdívia, Eduardo Sasha, Rodrigo Dourado, Léo Ortiz e etc. Ele não é visto como referência somente por jovens, mas também por reforços que chegaram ao Inter recentemente como Seijas, Nico López e Victor Cuesta.

Todos, ao falar do capitão colorado, são unânimes: admiram a postura, o caráter e a disciplina de D’Alessandro. Nunca um grupo de jogadores falou tanto do nosso Capitão. A maturidade que D’Ale alcançou nos três últimos anos e durante a sua passagem pelo River Plate é reveladora. Longe do Inter, parece que se reinventou, rejuvenesceu e voltou com outra visão, mais experiência e sendo muito importante para o grupo colorado. É o líder que aconselha, brinca e comanda o time dentro de campo.

D’Alessandro não se preocupa só com o vestiário e com os jogadores, mas sim com todo o “staff” que envolve um time de futebol: do porteiro ao presidente. Um líder nato, dentro e fora das quatro linhas. Esse ano o Inter tem um grupo jovem, com vontade de aprender, acertar e vencer. Vejo jogadores unidos, leves e tranquilos com o trabalho que está sendo feito. E aliás, muito bem feito pela equipe de Zago. Não se deixam abater, mesmo em desvantagem, é um time que busca a vitória sempre, coisa que estava em falta no Beira-Rio.

Essa união que é perceptível e vital para que o Inter consiga bons resultados e isso passa por D’Alessandro sim. Hoje, vejo todas as questões levantadas por muito tempo envolvendo o capitão e o vestiário caírem por terra: agregador, busca sempre o melhor para o grupo e é o porta voz dos companheiros. Não tenho dúvidas que ainda, em algum momento, escutaremos a frase: “D’Ale é ruim de vestiário”, típica de alguns “jornaleiros” da aldeia.

Mas neste momento é impossível dizer isso. Esse tipo de “notícia” está totalmente fora de pauta. Esquecida. E assim permanecerá.

Alguns depoimentos de colegas de D'Ale .


Nico:
"Somos uma equipe grande e não merecíamos ter caído, assim como o torcedor. Estamos bem, temos o D'Ale. Para mim, se ele estivesse no ano passado, não cairíamos. Ele está jogando muito."


Seijas:
"Estar com um cara (D'Alessandro) que representa tanto, motiva. Chama a responsabilidade pelo simples fato de ter voltado. Ele está aqui, isso para nós é muito importante."

Charles
"O D'Alessandro é jogador de uma qualidade que todo mundo sabe. Ajuda todo mundo."

Roberson
“O D’Alessandro é um cara muito importante para a equipe, ele é um cara que motiva o motiva o time. Ele está sempre tentando puxar a equipe pra cima. Tem vezes que estamos pra baixo, mas ele não deixa.”


Alberto Guerra, vice de futebol do Grêmio.
"(...) D’Alessandro, é o sonho de qualquer time, ter uma figura desta, emblemática e que, além da liderança técnica, seja uma liderança fora de campo.”

Zago
"Nunca deixei de sublinhar a importância do D'Alessandro. Por ser uma liderança técnica e o capitão, ter uma liderança natural. Ele tem uma história muito bonita aqui. Tem que respeitar, e os mais jovens ver como exemplo. É um jogador diferenciado(...)Quando ele joga, é um dos que mais corre nos jogos, dá ao máximo."

Brenner
"2016 foi tenso, é difícil passar que passou, mas pouco a pouco vamos superando. Você ver uma imagem do D'Alessandro levantando um troféu é bonita e emblemática. Tudo isso vai apagando 2016, ontem foi um primeiro passo."

Andrigo
"Um ídolo, um ícone aqui do Inter. Um grande exemplo para a gente, tanto dentro como fora de campo. Todo mundo gosta muito dele, um líder, um cara que nos ajuda. Sempre faz falta, porque precisamos de um cara assim. Então esse ano ele vem para somar.”

Paulão
"Ele é fundamental para nós, tenho uma amizade grande com ele e sabemos da importância dele.”

Colaboradores:
Gustavo de Oliveira
Lucas Collar


sábado, 25 de março de 2017

Saiba que : D'Ale sempre é pelo Grupo!




Fonte: Sport Club Internacional | Foto: Ricardo Duarte



O Gigante abriu os portões nessa manhã de sábado (25/03) para receber a torcida colorada. O apoio é importante para o treinamento da equipe que se prepara para encarar o São José-POA, domingo, no estádio do Vale. A primeira parte da atividade foi fechada, com o portão 7 (arquibancada inferior) sendo aberto por volta das 10h15 para o ingresso dos torcedores. Nosso ídolo participou e claro, comandou o treino. A parte chata fica por conta de alguns torcedores que vaiaram Paulão durante o treino, e D'Ale imediatamente mostrou que não gostou fazendo gestos para a torcida, que passou a aplaudir o treino.




Vaiar treino é coisa feia gente. Vamos se ligar! D'Ale sempre vai apoiar e defende o grupo


O INTER joga neste domingo (26/03), pela 10ª rodada do Campeonato Gaúcho, contra o São José-POA. A equipe de Zago busca três pontos que darão uma maior tranquilidade nessa primeira fase do torneio. A partida será disputada no Estádio do Vale, em Novo Hamburgo, a partir das 16h.

quinta-feira, 23 de março de 2017

D'Ale:" Vale. Tá valendo. Sempre vale a pena levantar Taça!"





Texto: Lucas Collar | Foto: Arquivo Blog

O empate do Inter em 1 a 1 com o Ypiranga nesta quarta-feira no Colosso da Lagoa em Erechim teve um significado especial para o capitão D’Alessandro.  Por mais que a vitória não tenha vindo, nos pênaltis, o Inter conseguiu conquistar o título da Recopa Gaucha. E por mais que essa taça não tenha grande relevância, ela vem em um momento importante para o grupo.

A conquista da Recopa Gaucha vem em um momento de reconstrução do grupo, do elenco e do clube como um todo. Todo mundo gosta de ser campeão e de festejar uma conquista. Isso se torna ainda mais verdade quando falamos de D’Alessandro. Se pegarmos as imagens de 2010, quando levantou a taça da Libertadores da América e as imagens da conquista desta quarta-feira, a empolgação, vibração e felicidade é sempre a mesma. E com razão. Um título sempre será um título.

O momento segue sendo de reconstrução. E talvez D’Alessandro seja o grande arquiteto dessa remontagem do Inter. Os resultados ainda não são perfeitos, assim como as atuações, mas a conquista da Recopa dá uma injeção de moral a um grupo machucado por tudo que sabemos que aconteceu em 2016.

 Além disso, a conquista também valeu para valorizar o torcedor, que mesmo morando longe de Porto Alegre, encheu seu espaço em Erechim e pode comemorar mais uma conquista ao lado de um dos maiores ídolos da história do clube, que já deve estar com algum problema na coluna de tanto erguer troféus.

quarta-feira, 22 de março de 2017

D'Ale:Temos que ir para ganhar!


Foto : Ricardo Duarte

E hoje às 19:30 em Erechim Inter busca mais 3 valiosos pontos jogando contra o Ypiranga no Colosso da Lagoa esperando que a torcida colorada lote o Estádio!

A novidade da partida deve ser a escalação de Cuesta como Zagueiro, estreitando pelo INTER. O argentino depara, claro, com a concorrência da atual dupla titular, formada por Léo Ortiz e Paulão. Mas os dois não são os únicos na briga. Recuperado de lesão muscular, Klaus volta após oito partidas e fica à disposição do comandante para retomar a titularidade, que era sua até a partida contra o Princesa do Solimões, em que sofreu o problema. Ernando, Eduardo e Neris correm por fora.

De resto, a formação colorada deve ser mantida com D'Alessandro na primeira linha do meio-campo e Uendel na lateral esquerda, mas sem Carlos. O atacante virou baixa após sofrer uma lesão na mão. Roberson e Valdívia são as opções para atuar ao lado de Nico López, na segunda linha, mais ofensiva, com o artilheiro Brenner na referência.


Sobre o jogo valer a taça Recopa Gaúcha, mesma taça que conquistou em seu ultimo jogo em 2016, D'Alessandro falou:


– Nós vamos jogar contra uma equipe forte, que sabe jogar bem em casa. Ganhou do líder de virada. É um campo muito grande. A gente conhece fez bastante jogo lá. A grama é pesada. Temos que ir para ganhar. Estamos nos preparando. Sabemos que a torcida vai nos acompanhar. Sabemos que vai ser um jogo difícil. É uma taça. É uma Recopa. Mais uma. Não é um título importantíssimo, de expressão. Mas quando tu jogas por taça, vale. Esperamos um Ypiranga muito forte – afirma D'Alessandro.

terça-feira, 21 de março de 2017

Foco na Taça e nos 3 pontos!


Sport Club Internacional | Foto: Ricardo Duarte

Jogo de quarta feira valerá a taça de Recopa Gaúcha.
Nosso ídolo poderá levantar a primeira taça após sua volta.
Os treinos aconteceram também  durante a manhã  de hoje e a tarde o grupo segue viajem para Erechim.
Zagueiro Cuesta apar de no BID e pode sair jogando.

"De volta à zona de classificação do Gauchão, o Internacional projeta agora o confronto com o Ypiranga, pela antepenúltima rodada da primeira fase. O jogo será disputado nesta quarta-feira (22/3), às 19h30, em Erechim, e será transmitido pelo pay-per-view e acompanhado em tempo real pelas redes oficiais do Clube do Povo.

Na tarde desta segunda-feira, no CT do Parque Gigante, o técnico Antonio Carlos Zago comandou uma atividade tática em campo reduzido que priorizou a troca de passes, a saída de bola e a movimentação ofensiva. Não houve indicativo da escalação que será usada no Colosso da Lagoa, o que poderá ocorrer no treino programado para a manhã desta terça, antes da viagem para o interior."

domingo, 19 de março de 2017

Inter sofreu sem D'Alessandro, e D'Ale sofreu sem o Inter.





 Texto: Lucas Collar | Foto: Alexandre Lops |Gustavo de Oliveira.

A vitória do Inter por 1 a 0 diante do São Paulo de Rio Grande pelo Gauchão não foi apenas um simples jogo de futebol. Muitas coisas especiais cercaram o jogo do último sábado no Beira-Rio. Além da partida estar marcada para a data de aniversário de Fernandão, que completaria 39 anos, caso estivesse vivo, a data também reservava algo especial para o capitão D’Alessandro, aquele que tem sido, por nove anos, um anexo da arquibancada dentro de campo.

O gringo completou 350 jogos com a camisa do Inter. Em um momento que por mais difícil que seja para os colorados, coloca em prova a importância que D’Alessandro tem para o clube e que certas coisas e mesmo estando “velinho”, como ele mesmo diz em algumas entrevistas, faz questão de mostrar que alguns “torcedores” e “formadores de opinião” estavam equivocados ao falar que seu ciclo estava acabado e que ele não seria capaz de acrescentar mais nada ao Inter.

D’Alessandro é fundamental em todos os apectos. Dentro de campo, tem sido a referência técnica, como sempre, com passes, articulação e, até mesmo, sendo versátil cumrpindo outras funções no meio-campo com grande qualidade, mesmo que não seja a sua principal virtude. No sábado, por exemplo, esteve na linha dos volantes ao lado de Rodrigo Dourado e Anselmo e, mesmo assim, foi um dos melhores jogadores em campo. 

Ainda dentro de campo, gesticula, orienta e ajuda o time a todo momento. É um verdadeiro líder. Um técnico dentro de campo. Sem contar a importância fora de campo, aconselhando os jogadores mais jovens e sendo um líder extramente positivo em um momento de reconstrução do Inter como um todo após tudo que aconteceu no ano passado.

O Inter sofreu sem D’Alessandro e D’Alessandro sofreu sem o Inter. Ele está de volta no lugar certo e na hora certa para provar que ainda tem muito para dar ao clube, ao time e ao torcedor. São 350 jogos de um ídolo que já deu um até logo, mas que nunca mais dirá adeus.

sábado, 18 de março de 2017

350 Jogos!!





São 350 jogos com a camisa vermelha do Sport Club Internacional.
D'Alessandro recebeu homenagens dá direção do Clube, e o Blog participou da arquibancada.












sexta-feira, 17 de março de 2017

Sobre D'Alessandro: Ei, Medeiros, renovação já!



 Texto: Rosita Buffi | Foto : Gazeta Press | Edição: Gustavo De Oliveira


Ele sempre foi um motivador dentro de campo, um exemplo para os mais novos e parceiros dos mais velhos. Sempre deu valor ao torcedor colorado e ama o Inter. Então por qual motivou saiu em 2016?  A verdade é que algumas pessoas não acreditavam mais no que D’Alessandro representava em campo. Se esqueceram, duvidaram ou achavam que ele não era mais tudo isso: estavam enganados.

Aqui no Blog sempre acreditavam que D’Alessandro precisava sair e dar um tempo para que sua volta fosse magistral. Mas também não pensávamos que sua falta seria tão difícil e que o Inter sem ele e a mercê de uma direção incompetente seria rebaixado. Um fato inédito em nossa grandiosa e centenária história.

Mas ele voltou e junto dele a alegria de ir novamente ao Beira-Rio, de pagar ingresso sorrindo, pois sabemos que o espetáculo está garantido. Com ele, voltaram as vitórias, os gols bonitos, a paixão no Beira-Rio e os sorrisos de admiração por um passe bem feito, a tradicional “La Boba”, lançamentos precisos e o domínio de bola que somente um camisa dez com sua qualidade pode fazer com total maestria.

D’Alessandro voltou por nós e pelo Inter e daqui não o deixaremos sair mais. Direção, por favor, trate bem nosso ídolo, pois ele é um de nós: um torcedor dentro de campo.

Renovação já!

quinta-feira, 16 de março de 2017

A pedidos: Todos gols de falta de D'Alessandro no INTER




A pedidos, publicamos aqui todos os
gols de falta de D'Alessandro com a camisa do Internacional.
Vale destacar o gol feito no Beira Rio, na ocasião da reinauguração contra o Peñarol.




video


Qual o seu favorito?

Agradecemos ao @memoriacolorada pela gentileza da pesquisa e edição !
Sigam @memoriacolorada no Twitter.

1 19/11/2008 Sul Americana Inter 4 x 0 Chivas
2 08/02/2009 Gauchão Grêmio 1x2 Inter
3 06/05/2009 Copa do Brasil Inter 2x0 Náutico
4 07/10/2009 Campeonato Brasileiro Inter 3 x 1 Náutico
5 16/10/2011 Campeonato Brasileiro Inter 4 x 2 Avai
6 06/06/2012 Campeonato Brasileiro Inter 1 x 0 São Paulo
7 21/03/2013 Gauchão Inter 2 x 1 São Luiz
8 04/09/2013 Campeonato Brasileiro Inter 1 x 0 Corinthians
9 12/09/2013 Campeonato Brasileiro Inter 2 x 2 Vitória
10 06/04/2014 Amistoso Inter 2 x 1 Penarol
11 15/03/2017 Copa do Brasil Inter 3 x 0 Sampaio Correia

Com D'Ale em campo, sempre vale o ingresso!




Texto: Lucas Collar | Foto Ricardo Duarte @memoriacolorada

Tinha tudo para ser um jogo normal. O Inter goleou o Sampaio Corrêa no jogo de ida por 4 a 1 fora de casa e, no Beira-Rio, tinha uma vantagem confortável para avançar para a quarta fase da competição. O técnico Antônio Carlos Zago preservou alguns titulares, mas a principal atração estava no banco de reservas e isso, por si só, já vale o ingresso e a presença da torcida do Inter no Gigante.

Com D’Ale ainda sentado no banco de reservas, o Inter ampliou a vantagem no placar agregado após cruzamento de Fabinho e uma conclusão certeira em cabeçada de Carlos. Na volta do intervalo, Zago optou pela entrada do capitão colorado na vaga de Seijas. E, neste momento, o torcedor se viu recompensado pelo ingresso que comprou para assistir ao jogo nesta quarta-feira.

Nos primeiros minutos em campo, D’Ale continuou sendo a “mente pensante” do Inter e carimbou todas as jogadas. Por pouco não participou de algumas assistências para Carlos e Charles. Porém, o ápice da noite ainda estava por vir. Aos 29’, após falta sofrida por Roberson, D’Alessandro ajeitou a bola para a perna esquerda e cobrou a falta com perfeição, maestria e qualquer outro adjetivo possível: golaço.

Além da beleza estética do gol, ele se tornou ainda mais especial pela importância dele nos números do ídolo no Inter. Foi o gol de número 78, ou seja, com esse gol, ultrapassou nomes como Fernandão e Falcão, outras lendas do clube, o que faz com que seu nome fique cada vez mais marcado na história centenária do Inter.

Se não bastasse tudo isso, outro recorde está por ser batido e com data marcada. No próximo sábado, também no Beira-Rio, D’Alessandro completará a marca de 350 jogos vestindo a camisa do Inter. E só isso já é um motivo de sobra para que o Gigante esteja lotado para reverenciar um dos maiores nomes da história colorada.

quinta-feira, 9 de março de 2017

D'Ale, o verdadeiro Maestro Pifador?



Texto: Lucas Collar | Foto: Ricardo Duarte

Muito se ouviu falar no ano passado sobre a qualidade de Douglas, camisa dez do Grêmio, que acabou sendo campeão da Copa do Brasil e foi apelidado de “maestro pifador” pelos tricolores. Porém, em 2017, parece que esse posto está retornando a quem sempre o teve desde que desembarcou em Porto Alegre em 2008. Isso ficou evidenciado a cada passe que D’Alessandro distribuiu na goleada diante do Sampaio Corrêa por 4 a 1 no Maranhão.

Atuando da mesma forma que vem jogando nos últimos jogos, D’Alessandro foi novamente um dos grandes nomes do Inter na partida. No primeiro tempo, teve participação direta no primeiro gol, quando em cobrança de falta ensaiada, deixou Nico López livre de marcação e no rebote do chute do uruguaio, o zagueiro Paulão abriu o placar no Maranhão. Ainda no primeiro tempo, o argentino continuou sendo a referência do Inter, carimbando todas as jogadas e até mesmo ajudando na recomposição defensiva.

Na segunda etapa, logo no começo da partida, D’Ale resolveu brilhar de novo. Aos 4’, deu um lançamento espetacular para Nico López, que driblou o goleiro e fez o segundo. Aliás, a dobradinha entre D’Ale e Nico López, é uma das coisas positivas do Inter neste começo de 2017. O capitão ainda deixou o uruguaio pifado sem goleiro, mas Nico acabou desperdiçando a chance de ampliar o marcador.

Ao final do jogo, D’Ale acabou sentindo cãimbras nas duas pernas, por conta do desgaste de tantos jogos na sequência e também pela intensidade que tem colocado nos jogos atuando os noventa minutos. Aliás, um belo tapa de luva naqueles que, no ano passado, diziam que o capitão estava “velho”, “ultrapassado” e que já não servia mais.

sábado, 4 de março de 2017

D'Alessandro é o verdadeiro "fato novo"?


Texto: Lucas Collar | Foto: Ricardo Duarte

Existe uma sintonia praticamente perfeita quando falamos de D’Alessandro e Inter. Quando se fala de um é praticamente impossível não falar do outro. D’Alessandro, dentro de campo, estampa o sentimento do torcedor colorado que está torcendo na arquibancada ou em qualquer lugar que esteja e isso ficou provado, mais uma vez, no empate em 2 a 2 no Gre-Nal da Arena neste sábado. Aliás, que falta fez o argentino para atmosfera do clássico.

O “fator D’Alessandro” não mexe só com a torcida do Inter. Durante a semana, quando a sua presença no clássico não era confirmada por conta de dores musculares na coxa direita, diversos gremistas (até os mais renomados) criaram teorias quanto ao camisa dez, inclusive, citando atrasado de salários e etc. O que só comprova o seu tamanho e o quanto ele mexe com o estado do Rio Grande do Sul.

Falando do futebol dentro das quatro linhas, D’Alessandro trouxe algo que o Inter não teve em 2016: uma referência. O capitão carimba todas as jogadas ofensivas do Inter e faz com que o adversário respeite o time colorado, mesmo que não esteja fazendo uma das suas partidas mais inspiradas. Porém, na segunda etapa, vimos o que tem sido rotineiro em 2017: D’Ale armando as jogadas, participativo e efetivo. O segundo gol do Inter, marcado por Brenner, começa com o capitão, passa por Uendel e termina com uma linda finalização do atacante.

Já com “dez em campo”, por conta da falta de condição física do Carlinhos, D’Ale estava diversas vezes como um lateral-esquerdo ajudando na marcação e, inclusive, marcando. Uma delas, aliás, resultou em um amarelo que o tira da partida do próximo domingo, contra o Juventude, em Caxias do Sul.

Porém, o que fica desse Gre-Nal 412, na Arena do Grêmio, é que Inter e D’Alessandro são palavras que andam juntas. D’Alessandro é o Inter. E o Inter é D’Alessandro. Isso foi visto na sua comemoração após o apito final, nas entrevistas após o jogo, desabafando tudo que estava entalado na garganta de muitos colorados e, principalmente, na felicidade de quem está vendo um trabalho de reconstrução de um clube dando frutos positivos após um ano tão sofrido para os colorados como 2016.