terça-feira, 11 de novembro de 2014

Alan Ruiz, O coadjuvante medíocre. Por Max Peixoto



Alan Ruiz: O coadjuvante medíocre.


Em que ponto chega o sentimento mordido e ferido de ser o coadjuvante na esmagadora maioria das vezes?
Após o 4º o gol colorado em Caxias, o lateral Gilberto aplicou um “balãozinho” em seu adversário, de pronto, o capitão colorado deu uma dura no lateral colorado, exigindo seriedade e profissionalismo, porém acima de tudo respeito com os colegas de profissão.
Após o 4º gol tricolor, a comemoração feita em frente ao banco de reservas do Inter, mostrou aos 4 ventos, com muita clareza, a carência de humildade e o motivo da fase tenebrosa de falta de glórias que o time tricolor passa. Após 9 confrontos diretos, veio uma vitória com merecimento e afins, com o mesmo score já sofrido em uma final no mesmo ano, porém a soberba histórica, não poderia faltar.
As postagens em redes sociais, de mais um pseudocandidato a D’Alessandro tricolor (Já tiveram uns 9 candidatos desde 2008), é de uma falta de noção sem tamanho. A euforia com o resultado não poderia ser diferente, porém o modo que o reserva de posição do Ramiro, cria do Juventude de Caxias, expõe sua sina de figurante com 1 dia de protagonista chega à beira do ridículo.
Estimado Alan Ruiz, querido Júnior Viçosa contemporâneo, porque o rancor? Aproveite a fase. Não mexa com alguém que na sua faixa de idade já era medalhista de Ouro nas Olímpiadas, capitão de um dos maiores times da Argentina e 3 vezes campeão argentino.
Qual a moral que você tem em provocar seu rival direto, que possui 1 Copa Libertadores, 1 Copa Sulamericana, 1 Recopa Sulamericana, 1 Copa Suruga e 5 campeonatos estaduais, sendo dois contra tua instituição.
Teus 3 dias de fama estão acabando, a validade desses teus gols é só até o próximo grenal, onde a sina de coadjuvante de seu time voltará como sempre. Você nem sei se estará aqui, visto que não passa de uma moeda de troca que veio parar aqui na província.
Em menos de 1 ano de clube em grenais já acumula 2 derrotas , 1 empate e 1 vitória. Já tem 3 eliminações, 1 para o time que seu dono, outra para o time que te goleou na final e outra por RACISMO.
Nesse meio tempo se tornou reserva de um jogador vindo de um time de série D, muitas vezes não sendo nem relacionado para as partidas.

Alan Ruiz, obrigado por manter a escrita da soberba tricolor.

D’Alessandro, obrigado por ser vermelho. Por brigar, espernear e deixar a vida em campo. Isso dói neles. Isso machuca o sentimento “castelhano” que eles querem ter. Obrigado, Andrés, por representar de fato os loucos que seguem esse clube por onde ele vai e em qualquer situação. Teu cumprimento à torcida colorada domingo após o baile tricolor, causa náuseas neles, causa o mais profundo sentimento de agouro e inveja.



A 10 rubra causa sentimentos estranhos para eles, é a camisa a ser caçada, batida e superada. Quando conseguem, a mediocridade e falta de respeito vem à tona como sempre. Digno de time de divisão de acesso que são.
Se o grenal serve para arrumar a casa de quem ganha, também serve para evidenciar bem os ícones eternos deste clássico.
Pra ti Ruiz, falta muito. Por enquanto se encontra na mesma faixa de Júnio Viçosa.
 Aliás, por onde anda o homem grenal Viçosa?


9 comentários:

  1. Muito muito muito bom, nota 10, baita texto que diz tudo !

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto, o D'ale é o cara e esse Alan Ruiz nao passa de um coitado

    ResponderExcluir
  3. Esse texto só serve para constar que o autor escreve bem e que é um baita hipócrita. Time com pouca história (oito anos de vida) e mesmo assim não conhece a própria história. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estás enganado Dan, ele escreveu sobre o Inter.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Adorei esse texto falou tudo!!!!! Luinter

    ResponderExcluir