quarta-feira, 31 de julho de 2013

E o Maestro Conquista a América! By Franciely Mota





O MAESTRO CONQUISTA A AMÉRICA

O mês de agosto de 2010 começou com um greNal, válido pela 12ª rodada do Brasileirão, mas a cabeça dos Colorados estava longe, muito longe, mais precisamente na semi final da Libertadores da América que seria disputada 4 dias depois. Talvez por isso o clássico 382 tenha ficado no 0x0, coincidência ou não, o mesmo placar do último greNal antes do título da Libertadores em 2006. O jogo não teve o brilho de D’Alessandro, o então técnico Celso Roth preservou o craque e mais quatro titulares: Nei, Kleber, Taison e Alecsandro. Após o jogo o Inter acabava a rodada em 3º lugar, e o Grêmio? Tudo na normalidade, 17º colocado e zona de rebaixamento.
 
Mais quatro dias e tínhamos um jogo tinhoso pela frente contra o SPFC no Morumbi, jogo marcante e decisivo: seria o carimbo para as finais. Mas antes disso, apesar da vantagem conquistada no Beira-Rio (1x0), teríamos que testar nossos corações de todas as formas: no primeiro tempo começamos perdendo, e ainda tivemos o Tinga expulso... Ah sim, isso igualzinho a 2006... Mas no segundo tempo tudo mudou: Inter marcando, comendo a bola, e D’Ale cobra falta, a bola é desviada de calcanhar por Alecsandro, gol do Inter... Ah o D’Ale comemorando junto à torcida... O empate aos 6 minutos do segundo tempo carimbava o nosso passaporte. Perdemos este jogo é verdade, 2x1, mas com o resultado do jogo anterior a classificação era nossa... Rumo as finais da Libertadores da América, e o mais importante, já estávamos garantidos no Mundial de Clubes FIFA!




E D’Ale cada vez mais perto de realizar um de seus maiores sonhos da sua carreira: ser campeão da Taça Libertadores da América, e nós Colorados junto com o Maestro dividíamos a ansiedade, a vontade e o sonho pelo nosso Bicampeonato... O primeiro jogo contra o Chivas Guadalajara foi no México e começamos mais uma vez perdendo: um golaço de Bautista no final do primeiro tempo. Mas não por muito, no segundo tempo o Inter empatou com Giuliano, e mais alguns minutos, após cobrança de falta de D’Ale, Bolívar não perdoa, a bola entra para estufar a rede... Ganhamos de virada na casa do adversário, 2x1, e agora a grande final no Gigante da Beira-Rio: Nossa casa, nosso lar, nosso Maestro para fazer o que sabe de melhor guiar com passes perfeitos, prendidas de bolas nos momentos certos...



 
E a noite de 18 de agosto chegou, o Beira-Rio lotado, totalmente vermelho e branco, a torcida cantando: “Vamo Inter, Vamo Inter, Vamo Inter... Seremos Campeões...” Mas quem disse que seria barbada? Jamais... Mais uma vez o Chivas abriu o placar, e o Inter teve que correr atrás... Quanto mais difícil melhor, nós gostamos de emoções fortes, e neste jogo a estrela de D’Ale brilhou, brilhou, brilhou: segundo tempo de muitas assessorias, cobranças, jogadas e nossos três gols: Rafael Sóbis, aos 16’, Leandro Damião, aos 30’ e Giuliano, aos 45’, nem o segundo gol do Chivas já nos acréscimos diminuiu a festa Colorada...








E você realizou o seu sonho, e o nosso sonho de uma só vez... Inter Bicampeão da Libertadores, Andrés Nicolás D’Alessandro Campeão da América. Você foi um dos principais responsáveis pela conquista, a cada comemoração sua, a nossa alma era lavada!!!
Após nossa excelente campanha na Libertadores, nosso Ídolo foi merecidamente convocado para a Seleção Argentina, pelo técnico Sergio Batista, para disputar um amistoso com a Espanha. Neste jogo D'Alessandro entrou em campo aos 44 minutos do segundo tempo, no lugar de Messi. Entrou em campo e já armou a jogada do quarto gol da Argentina, marcado por Sergio Aguero, e que fechou o placar na goleada de 4x1 sobre a atual campeã mundial. Contente com a performance de D’Ale, Sergio Batista o convoca pela segunda vez em 2010, mas agora o amistoso era contra o Japão. Infelizmente a Argentina perdeu por 1x0 e D’Ale foi criticado pela Imprensa Argentina. Apesar do esforço da mídia, Ele foi novamente convocado para outro amistoso no dia 17 de novembro de 2010, em Doha, no Qatar, contra a Seleção Brasileira. E D’Alessandro foi perfeito entrou em campo quase no final do jogo, substituindo Pastore e na seqüência Messi fazer linda jogada individual, finalizando para o gol da vitória da Seleção Argentina. Detalhe: a primeira vitória da Seleção Argentina sobre a Seleção Brasileira desde 2005




Próximos compromissos: Brasileirão e Mundial de Clubes FIFA. O Internacional totalmente focado para o Mundial em dezembro no estádio Mohammed bin Zayed, em Abu Dhabi. Mesmo preservando jogadores e treinando sempre com os pensamentos no Mundial, terminamos o Brasileirão na 7ª colocação.
Mas jamais imaginávamos que nada daria certo... Que terror, que horror: não dava para reconhecer o Inter que entrou em campo contra o Mazembe, time da República Democrática do Congo, nossa, faltou tudo, agilidade, sintonia, garra, foco e D’Ale azucrinando o adversário... O time que entrou em campo não fardou o Manto Sagrado, simplesmente estavam irreconhecíveis. Resultado: perdemos por 2x0, e o sonho do Mundial acabava por ser implodido, restava disputar o 3º lugar. No jogo contra o Seongnam, clube da Coréia do Sul, vitória por 4x2 com direito a gol de D’Alessandro, o craque ainda recebeu a Bola de Bronze do Mundial.






Mas o ano de 2010 ainda trouxe outro feito grandioso para o nosso craque, sendo eleito como o Melhor Jogador das Américas, prêmio oferecido pelo jornal uruguaio El País, a votação é feita por jornalistas de todo o continente, e graças as suas atuações pelo Inter, D’Alessandro recebeu 61 votos, contra 51 de Verón e 47 de Neymar.




Feridas ainda abertas, mas com a certeza de que outras oportunidades viriam, o Internacional entra 2011 com força total e focado no Gauchão, o que resultou no RS novamente vermelho, mas não foi fácil... Foi emocionante: No primeiro GreNAL da final no Beira-Rio, o GFPA venceu por 3 a 2.

Na final disputada no Olímpico, o Inter devolveu os 3x2 no tempo normal e levou a disputa para os pênaltis. Nova vitória Colorada, 5x4 após 14 cobranças realizadas. Nossa... Ver D’Ale marcando dois pênaltis (tempo normal e na cobrança), o sabor da vitória na casa deles e o Inter conquistando o 40° título Gaúcho (hegemonia no estado) é de deixar qualquer torcedor orgulhoso.







Orgulho? Muito orgulho deste time e principalmente é ter o homem GreNal: 6 gols marcados no clássico... D’Alessandro você é o melhor camisa 10, o melhor meia e o melhor especialista em assistências do futebol!!!
O primeiro semestre de 2011 ainda guardava mais emoções para nós: chegamos em agosto na 7ª colocação do Brasileirão, tivemos a demissão do técnico e ídolo Falcão, e para fechar o mês de julho, terminamos em 3º lugar na Audi Cup, com gol no tempo normal e um de pênalti do Maestro D’Ale, no jogo contra o Milan de Ibrahimovich, Robinho e Pato...






 
Ao relembrar estes momentos... Fico arrepiada, olhos marejados, lágrimas que rolaram e rolam a cada lembrança... Sua garra, competência e responsabilidade foram e são inspirações para todo o time. Sem dúvida nenhuma, depois da tua passagem pelo clube, a camisa 10 do Inter jamais será a mesma...


Franciely Mota:  Jornalista, Integrante da Força Feminina Colorada, Fran é uma torcedora fiel do nosso amado Inter, idônea  no assunto D'Alessandro, sempre torceu para o INTER, mas aprendeu a amar D'Ale o observando pelos meus olhos...Agradecimento a edição de fotos de Rudinei zang!!

Fotos: Alexandre Lops ZH

Queda e retomada, D'Ale. By Wagner Silva






                                                  Queda e retomada!

Em agosto de 2009, D’Alessandro ainda colhia os frutos da confusão na final da copa do Brasil, abalado e envergonhado, segundo ele próprio descreveu, passou um tempo longe da equipe por suspensão.  Muito criticado, inclusive por boa parte de sua torcida, nosso ídolo teve humildade de reconhecer o erro e usou toda sua capacidade de indignação, a mesma que sempre demonstrou em campo, agora para ressurgir como um verdadeiro líder, não ficou se lamentado por muito tempo, tratou de aprimorar o condicionamento físico e voltou “voando” para ajudar o time na busca da vaga no G4 com o vice-campeonato brasileiro.





 Vaga conquistada, cabeça refeita e animo renovado, se inicia 2010, aquele que seria o melhor ano de D’Alessandro no Inter, o ano que a estrela de “El Cabezón” brilharia mais alto nos céus da América.
Gosto sempre de resaltar, em conversas informais, a personalidade de Andrés, e essa transição do “inferno ao céu”, expulsão na Copa do Brasil à trajetória fantástica na conquista da América, exigiu uma força de vontade que só pertence aos grandes, aos corajosos, aos que podem ser chamados de ídolos. Nosso craque sofreu, basta ver seus depoimentos sobre o caso ainda hoje, quando toca no assunto, mas se refez, se ergueu e junto com sua garra e determinação, ergueu toda uma nação ao posto mais alto do continente. 



Creio que 2010 foi emblemático para que D’Ale pusesse POA definitivamente eu seu coração. Recebeu muito carinho e apoio da torcida, jogou muita bola e retribuiu sendo escolhido, no final daquele ano, melhor jogador das Américas.
Tenho muito orgulho de Andrés Nicolas D’Alessandro, de sua intolerância com a derrota, da sua entrega em campo, da paixão que tem pelo nosso clube, pela nossa cor.
Tenho certeza que vivo na época do maior nome da história centenária do Sport Club Internacional: D’ALE10.




Wagner Silva: Conhecido como @Maccaco_veio é fã famoso de nosso ídolo. è dele o sensacional video D'Alessandro  Eterno, nunca diremos adeus. Sem palavras. Aqui no Blog, somos fãs do fã.



Fotos: Alexandre Lops /ZH

terça-feira, 30 de julho de 2013

D'Ale agradece aos fãs e ao Clube! By Rosita Buffi

video



Quem agradece somos nós D'Alessandro! O dia que fui te conhecer, tu colocastes na dedicatória "obrigado por me aguentar". Quem aguenta é tu! Povo te criticando, te aborrecendo nos treinos, te incomodando em casa (risos) , te chamando nas ruas, no Shopping, gritando teu nome nos aquecimentos pré jogos (mais risos) , te pedindo um oi, um tchauzinho, nem que seja de longe( e tu sempre atende). Aguenta a mídia, os jornalistas, os rivais e sua torcida (que choram de desespero quando tu joga o greNAL). Obrigada por nos aguentar, mas é assim quando se ama. A gente aguenta. Mas te amamos na mesma medida. Espero que esses 5 anos se multipliquem por 5... e que tu faça de nosso novo Beira Rio tua casa permanente.
Aqui tu conquistou não só títulos, mas uma família! Uma nação! E hoje te homenagear é fácil para quem , assim como eu, está do teu lado 365 dias por ano! Grande pequeno ídolo, que se transforma em um gigante em campo! Nosso Orgulho é poder falar D'Alessandro é Colorado!

By Rosita Buffi

A Chegada de um Craque!! By Rafael Murilo

               A Chegada de um craque!!







                                                             
                                     Quando desembarcou em Porto Alegre naquele frio 30 de julho de 2008, ninguém imaginava, nem dirigentes, nem o torcedor mais fanático, nem mesmo ele, que, 5 anos depois, estaria com o status de maior jogador da história centenária do Sport Club Internacional.
Andrés Nicolas D’alessandro chegou ao Beira rio com a fama de jogador problema, que se envolvia em confusões, por causa de seu temperamento explosivo, teve passagens apagadas pela Europa.
Com a ingrata missão de substituir nada mais nada menos que Fernandão, o capitão do Mundial FIFA conquistado pelo Inter, D’alessandro estreou em um GreNal, válido pela SulAmericana, que no fim do ano ele comemoraria como seu primeiro título no Inter...

 Ainda se readaptando ao futebol  Sul Americano, ele se destacou nos primeiros jogos pela entrega dentro de campo e, é claro, pela grande qualidade técnica que possuía.

O começo foi difícil, um time remontado, o ciclo de alguns jogadores ainda remanescentes do título Mundial de 2006 estava acabando. Mas, aos poucos, foi se tornando jogador fundamental na equipe treinada pelo técnico Tite

Seu primeiro gol aconteceu dia 14 de setembro, contra o Botafogo, onde deixou um adversário caído no chão com um drible desconcertante e colocou a bola com toda a qualidade que Deus lhe deu.
 







 O primeiro grande jogo de D’alessandro pelo Inter foi no GreNal do segundo turno, onde fez um golaço, pegando rebote na entrada da área, participou dos outros 3 de forma direta e comandou as ações na goleada por 4x1,  naquele famoso Grenal onde o ilustre e saudoso Paulo Odone disse que o Grêmio iria passar a máquina nos Galácticos do Inter.
Ali, começava a paternidade de D’alessandro sobre o goleiro Victor e principalmente sobre o Grêmio, que até hoje tem pesadelos com ele.
 


Sem chances de título e vaga na Libertadores pelo começo ruim no Brasileirão 2008, o time Colorado concentrou suas forças na Copa SulAmericana, e com o então camisa 15 jogando muito e comandando o time no título, principalmente contra o Estudiantes, nos dois jogos da Final do Copa.

Pronto, D’alessandro já tinha conquistador seu espaço no coração dos Colorados!



O ano de 2009 começava, o Clube comemorava o aniversário de cem anos de existência e D’alessandro se consolidava como principal jogador do grande time montado por Tite, que, na minha opinião, foi o melhor dos últimos anos.

Ganhando 3 Grenais e provocando a demissão do então técnico do Grêmio, Celso Roth, o Inter ainda arrasaria o pobre Caxias na Final do Gauchão, aplicando uma inesquecível goleada de 8x1 no time da Serra, sendo campeão invicto.


Tudo parecia bem, mas os problemas começaram a partir da Final da Copa do Brasil, onde o Inter perdeu para o Corinthians, que ainda teve D’alessandro expulso injustamente na partida decisiva. Com a confusão gerada, o meia Argentino ainda seria punido com 5 jogos pelo STJD.
 Afastado para se recondicionar fisicamente, D’alessandro não viajou com o time para a conquista da Copa Suruga, realizada no Japão. Começava um momento delicado para D’alessandro no Inter. 




Rafael Murilo: Fã de D'Alessandro, Murilo sempre está e se faz presente em todas as datas históricas para D'Alessandro! É sua a foto com a camisa de número 200 que apareceu em várias midias na ocasião que D'Alessandro completou 200 jogos! 
http://t.co/skSdimmCOS
@murillopoa










Fotos: Alexandre Lops ZH